fbpx

Ferramentas Básicas Para Iniciantes na Eletrônica

A eletrônica é uma área do conhecimento muito fascinante e atraí muitas pessoas que desejam se envolver mais com o assunto. No entanto, acredito que os fenômenos elétricos como um todo são muito motivantes, devido às diversas aplicações que pode-se obter com a eletricidade no geral.

Todos que inciam seus estudos em eletrônica estão dispostos a descobrir o quanto essa ciência pode ser interessante e motivadora.
 
No texto de hoje vamos falar sobre algumas ferramentas básicas que ajudarão muito aos iniciantes nos estudos e experimentos envolvendo circuitos eletrônicos dos mais variados tipos, e mostrar que com pouco investimento pode-se montar e construir os mais diversos protótipos de circuitos eletrônicos.
 
A seguir vou descrever as ferramentas básicas e onde você poderá estar adquirindo a mesma a um custo benefício muito bom.

Alicates

Os alicates são ferramentas muito úteis, ajudam a cortar, torcer, segurar pequenos parafusos, alguns componentes eletrônicos e decapar os fios para as conexões. Apesar de ser uma ferramenta muito comum em algumas residências há certos modelos de alicates específicos para trabalhar com eletrônica, ou seja, são alicates menores com corte mais preciso e com pegada ergonômica para o trabalho a ser utilizado.

 
Na Figura 1 podemos conferir vários modelos de alicates.
 
Figura 1 – Diferentes modelos de alicates encontrados no comércio.
Há muitas variações de alicates, mas para iniciantes em eletrônica a dica é: alicate de bico, alicate de corte e o alicate universal. Com estes três modelos de alicates as montagens eletrônicas serão muito facilitadas com o uso deles.

Chaves de Fenda e Phillips

As chaves de fenda e de phillips são ferramentas que provavelmente todo mundo já usou ou tem guardado na gaveta do armário, pois estas são indispensáveis em pequenos reparos em nossa casa (quem nunca apertou os parafusos de uma gaveta?). Assim, essas chaves também são consideradas ferramentas básicas para quem inicia em montagens com eletrônica, pois estas auxiliam a aparafusar os cabos nos conectores, desmontar caixas, retirar placas de circuito e em muitas outras tarefas.

A Figura 2 a seguir apresenta alguns modelos de chaves manuais além da de fenda e phillips que podem ser encontradas no comércio.

 
Figura 2 – Modelos de chaves de fenda e phillips juntamente com uma imagem de referência para outras chaves.

Neste caso, a dica é adquirir um kit simples de chaves que contenha a chave de fenda e de phillips. Mais tarde é claro que convém adquirir novos modelos de chaves.

Estilete

O estilete é utilizado para cortar e ajudar a decapar alguns cabinhos, cortar trilhas em placa de circuito impresso e em outras tarefas que necessite de uma lâmina bem afiada. A Figura 3 a seguir apresenta alguns modelos de estilete.

Figura 3 – Modelos de estiletes que são encontrados no comércio.

A dica é adquirir um modelo de estilete que seja robusto, ou seja, com boa pegada e que seja de um material aparentemente resistente para que não quebre facilmente. Além do mais, muito cuidado ao manusear o estilete ou qualquer outra ferramenta cortante.

Ferro de Soldar

O principal, ou talvez, um dos itens mais importantes dessa lista é o ferro de soldar. O ferro de soldar a princípio é uma ferramenta muito simples, pois é formada por uma resistência elétrica que aquece toda parte metálica, principalmente a ponta. A Figura 4 a seguir apresenta alguns modelos de ferro de soldar.

Figura 4 – Diferentes modelos de ferro de sodar que podem ser encontrados no comércio.

Existem muitos modelos de ferro de soldar, com ou sem controle de temperatura e de baixa e alta potência. Mas, o indicado para iniciar e adquirir experiência com solda eletrônica é um modelo de ferro de soldar que tenha potência entre 30 e 40 W. Os modelos de baixa potência também são muito indicados para soldar circuitos integrados, pois a temperatura excessiva sobre esse tipo de componente pode danificá-lo permanentemente.

Solda em Estanho

De que adianta ter um bom ferro de soldar se não temos solda. A solda para eletrônica é uma liga de chumbo e estanho. A solda é vendida em diferentes formatos: barras, rolo e tubinho. A Figura 5 a seguir traz diferentes modelos de solda encontrados no comércio.

Figura 5 – Tipos de soldas encontradas no comércio.

Qual modelo escolher, vai primeiramente da capacidade financeira e da necessidade da solda, ou seja, não adianta comprar um rolo de solda se você precisa soldar apenas meia dúzia de componentes e não precisará realizar muitas soldas por dia.

Outro ponto que devemos tomar cuidado é a proporção da solda, por exemplo, tem solda na proporção 60/40, 70/30 e talvez outras proporções. A proporção indica a quantidade de estanho e chumbo presente na solda, por isso é melhor optar por soldas com proporção 70/30, pois possui mais estanho. Outra característica da proporção, é que quanto maior a proporção de estanho mais brilho tem a solda e menor é a chance de uma “solda fria”.

Ainda devemos considerar o diâmetro da solda, o mais indicado e encontrado no comércio são as soldas de 1 mm de diâmetro.

Sugador de Solda

O sugador de solda também é uma ferramenta muito importante, pois com ela podemos remover a solda e retirar componentes das placas de circuito impresso. Sua função é sugar a solda que é derretida com o ferro de soldar. A Figura 6 a seguir apresenta alguns modelos de sugador de solda.

Figura 6 – Modelos de sugadores de solda e uma explicação de seu uso.

Note que há diferentes modelos, de plástico, alumínio e misto de plástico mais alumínio, etc. Para iniciantes um modelo simples já é o suficiente e atende perfeitamente a todas as montagens.

Além disso, é sempre importante manter o sugador de solda limpo, ou seja, deve-se abri-lo e remover a solda que fica encrostada no interior do tubo e no final da limpeza lubrificar com óleo ou grafite em pó.

Pasta de Solda

A pasta de solda não é de extrema importância, mas ao usá-la pela primeira vez percebe-se que o investimento valeu a pena. A pasta de solda é um material pastoso que melhora a solda, ou seja, ela permite uma maior absorção da solda pelo material ao qual desejamos soldar. Ela auxilia em todo o processo de soldagem em eletrônica, sem exceção.

A Figura 7 apresenta os modelos de pasta de solda que se encontra no comércio.

Figura 7 – Diferentes tipos de pasta de solda que pode ser encontradas no comércio.

Em relação a pasta de solda não há um critério específico na sua compra, o importante é comprar de marcas de qualidade e com selo de certificação.

Multímetro

Esta ferramenta sem dúvidas é uma das mais importantes para o iniciante em eletrônica. Com o multímetro o principiante tem a oportunidade de medir várias grandezas elétricas, dependendo do modelo de multímetro adquirido.

O multímetro, como o nome indica, multi medidas, é um instrumento que possui integrado diversas funções. Vão desde modelos simples à modelos sofisticados com medição true RMS (capaz de medir o valor RMS de sinais variantes no tempo que não sejam senoidais).

A Figura 8 a seguir apresenta alguns modelos de multímetros que podem ser encontrados no mercado.

Figura 8 – Alguns modelos de multímetros que são encontrados no comércio.

Veja também:

Como usar o Multimetro – Guia completo com 10 formas práticas.

Note que há diferentes modelos, vão desde os mais simples com baixa resolução até modelos com altíssima resolução e também com um maior número de dígitos. Há ainda os multímetros analógicos que são ótimos em manutenção eletrônica, apesar de apresentarem um menor número de funções.

Na hora de escolher um multímetro, devemos levar em conta seu preço e a nossa necessidade quanto ao número de funções que são agregadas ao instrumento.

Para iniciantes o melhor e indicado são os multímetros mais simples, que agregam funções como: medição de tensão CC e CA, corrente CC, resistência elétrica, teste de continuidade e teste de diodo e transistor. Isso até pelo fato do principiante ainda estar adquirindo experiência e não correr o risco de jogar fora todo o dinheiro investido num super multímetro. Com o tempo e com a experiência adquirida claramente você perceberá a necessidade de um multímetro com mais funções.

Essas são as ferramentas que com minha experiência julgo ser ferramentas básicas para quem pretende realizar montagens eletrônicas. Entretanto, não precisamos adquirir todas de imediato. Pra ser sincero, fui adquirindo minhas ferramentas aos poucos, comecei com o ferro de soldar, o estanho e os alicates, depois adquiri algumas chaves e no fim consegui comprar meu primeiro multímetro. Ao longo desse tempo vim juntando ferramentas e também ganhando ferramentas de amigos.

Em nosso site você poderá estar adquirindo muitas ferramentas, e com excelente custo benefício. Acesse pelo link abaixo:

Ferramentas para eletrônica

Espero que tenham gostado deste texto, e que tenha sido de grande ajuda na hora de decidir quais ferramentas adquirir.

Obrigado e boas montagens!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *